Edital promove uso sustentável do Cerrado

O DGM Brasil, mecanismo de apoio dedicado a povos indígenas, quilombolas e comunidades tradicionais do Cerrado brasileiro, abriu edital no valor de R$ 2,28 milhões, com recursos do Programa de Investimento Florestal (FIP). Deste total, 60% serão destinados a apoiar propostas para povos indígenas e os outros 40% serão destinados ao apoio de propostas de comunidades quilombolas e comunidades tradicionais do bioma Cerrado.

O Ministério do Meio Ambiente (MMA) faz parte do Comitê Gestor que coordena o DGM/FIP do Brasil, formado por representações indígenas, quilombolas e de comunidades tradicionais com atuação no Cerrado, além de representantes do governo federal.

Governo libera R$ 4,7 milhões para despoluir o Rio Belém

O Governo do Estado liberou mais R$ 4,7 milhões para a revitalização da bacia do Rio Iguaçu. A medida foi autorizada pela governadora em exercício Cida Borghetti nesta semana. Os recursos serão utilizados pela Secretaria de Estado do Meio Ambiente e Recursos Hídricos em projetos com o objetivo de despoluir o Rio Belém, um dos principais afluentes do Iguaçu na região de Curitiba.

Cida é a coordenadora do grupo de trabalho criado em 2015 pelo governador Beto Richa para executar o projeto de Revitalização do Rio Iguaçu. “O rio é um símbolo do Paraná e agora está recebendo a atenção que merece”, afirmou ela.

Brasil possui três rotas de aves limícolas

No Dia Mundial das Aves Limícolas Migratórias, comemorado nesta quarta-feira (06/09), especialistas alertam para o declínio acentuado das populações nos últimos anos. Patrimônio comum de diversos países por onde passam ao longo do ciclo de vida, protegê-las requer esforços e acordos internacionais. No país, essa missão é capitaneada pelo Ministério do Meio Ambiente e vinculadas.

“Os dias dedicados às aves migratórias (Dia mundial das Aves Limícolas Migratórias e o Dia Mundial das Aves Migratórias) são ferramentas de sensibilização para a necessidade de conservação das aves migratórias e seus habitats e uma importante forma de divulgar as ameaças que as espécies enfrentam, sua importância ecológica e a necessidade de cooperação internacional para conservá-las”, afirma o diretor do Departamento de Conservação e Manejo de Espécies do Ministério do Meio Ambiente, Ugo Vercillo.

As aves limícolas migratórias são espécies que têm pernas mais altas e bicos mais compridos para se alimentar de pequenos animais que se enterram na areia ou estão na superfície da água. Elas realizam anualmente as mais extensas migrações internacionais e são consideradas patrimônio dos países por onde passam. Algumas se deslocam por mais de 30 mil quilômetros por ano.

Ministro acompanha ações de combate ao fogo

“Vocês são os verdadeiros heróis da natureza. As futuras gerações, muitos que não nasceram ainda, haverão de agradecer por esse trabalho”. Com essas palavras, na tarde desta quinta-feira (31/08), o ministro do Meio Ambiente, Sarney Filho, agradeceu aos funcionários do Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio), brigadistas, voluntários e ao Corpo de Bombeiros Militar do Distrito Federal (CBM-DF) pelo empenho no combate ao fogo que se alastra pela parte oeste do Parque Nacional de Brasília, desde domingo (27/08).

Após fazer um sobrevoo no helicóptero do CBM-DF, ao lado do coordenador nacional de Prevenção a Incêndios Florestais do ICMBio, Christian Niel Berlinck, Sarney Filho afirmou que a visita ao parque na capital federal simboliza a mobilização do Ministério do Meio Ambiente no combate aos incêndios florestais em todas as unidades de conservação federais.

“No ano passado, batemos alguns recordes negativos em número de focos de queimadas, então fizemos um planejamento para este ano. A situação climática é pior, mas a situação dos órgãos federais é melhor. Acredito que, por isso, vamos conseguir diminuir o número de focos de queimadas e vamos poder combater com mais eficácia”, disse o ministro.

Brasil fortalece ações de proteção do oceano

O Brasil defenderá medidas para fortalecer a proteção da zona litorânea e marítima do país. Começou nesta segunda-feira (04/09) o 4º Congresso Internacional de Áreas Marinhas Protegidas, em La Serena e Coquimbo, no Chile. No evento, uma equipe formada por governo e sociedade civil apresentará as políticas federais para o setor e a Iniciativa Azul do Brasil, uma estratégia para atingir a meta de conservação de 10% das áreas marinhas e costeiras nacionais.

A Iniciativa Azul do Brasil será o tema do evento paralelo do país, marcado para quinta-feira (07/09). A medida tem como foco unidades de conservação e mecanismos financeiros e será formada por uma série de ações coordenadas por meio de uma plataforma de gestão. O objetivo é compartilhar esforços para a captação de recursos, execução de projetos, gestão de áreas protegidas e interação regional e internacional.

A expectativa é que, com a Iniciativa, o país alcance a meta de conservação de ao menos 350 mil quilômetros quadrados (10%) das zonas costeiras e marinhas do Brasil nos próximos dez anos, até 2027. Com essa medida, o país também buscará o cumprimento de outros compromissos internacionais. Entre eles, estão as ações de enfrentamento à mudança do clima no contexto do Acordo de Paris e a adoção dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS).

Brasil avança nas metas para o clima

Políticas para conter o aquecimento global estão sendo implementadas em diversos setores econômicos do país. Em audiência pública nesta terça-feira (29/08) na Câmara dos Deputados, em Brasília, o ministro do Meio Ambiente, Sarney Filho, declarou que medidas na área florestal já contribuem para o alcance da meta brasileira de corte de emissões no contexto do Acordo de Paris sobre mudança do clima. O assunto foi debatido em reunião da Comissão de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável.

A promoção da economia florestal foi apontada como uma das principais medidas que contribuem, desde agora, para o alcance da meta brasileira de corte de emissões, conhecida como NDC. “A implementação da NDC pelo Brasil já está em curso”, ressaltou o ministro. O plano que permitirá a concretização da meta está sendo construído pelo governo com a sociedade. “A estratégia em elaboração dará mais eficiência ao processo, mas diversas ações já estão acontecendo”, acrescentou.

Please publish modules in offcanvas position.